• Notícia FM

Depois dos gagliasso, Fernanda Rodrigues e marido se mudam para Portugal

“É uma casa portuguesa com certeza...”. Não. Espera. O clássico cantado pela diva do fado Amália Rodrigues, de 1953, bem que poderia ganhar uma nova versão com a chegada de tantos artistas brasileiros a Portugal. Na semana passada, Giovanna Ewbank contou a seus seguidores que mudou de mala e cuia com Bruno Gagliasso e as crianças para além mar, no fim de semana foi a vez de Fernanda Rodrigues e do marido, o diretor Raoni Carneiro. Todos parecem cumprir um ritual: serem recepcionados pelo casal Ricardo Pereira e Francisca. Os dois têm sido praticamente “embaixadores” nessa imigração. E o número de famosos pelas calçadas portuguesas só aumenta. Nos últimos anos, muitos atores e atrizes trocaram o Brasil pela qualidade de vida no país de nossos colonizadores. Além disso, Portugal se tornou a queridinha do continente europeu, com preços mais em conta, além de praias com paisagens sedutoras. Além da capital Lisboa, Cascais e Algarve são o destino preferido dessa moçada. Gagliasso está filmando em Madri e está a apenas uma hora e meia de avião da casa imensa em que se instalou no Algarve, com jardins a se perder de vista, horta e pomar. Giovanna, sua mulher, vai começar a gravar os programas de seu canal por lá mesmo. Em setembro, a família deve retomar algumas coisas no Brasil, época que coincide com o fim do verão europeu. Fernanda e Raoni também chegaram com os filhos e vão aproveitar a temporada, já que possuem passaporte europeu. Com a chegada de tantos brasileiros por lá, a festa é grande. Principalmente agora que grande parte da população está vacinada contra a Covid-19 e o uso das máscaras tem sido flexibilizado. A decisão que estes dois casais fizeram agora já havia sido tomada por Suzana Werner, Úrsula Corona, Cassiano Carneiro, Marcello Anthony, Taís de Campos, Tássia Camargo, Luana Piovani, Vitoria Fratte entre outros. Giovanna Antonelli e Thiago Rodrigues passaram algumas temporadas por lá, e mantém suas casas no país. A justificativa é a mesma: poder viver e criar filhos longe da violência, num país que tem inúmeras oportunidades para os artistas brasileiuros que sempre fizeram sucesso tipo exportação.








Fonte: Extra

10 visualizações0 comentário