Junno Andrade responde a processo de reconhecimento de paternidade

Esta coluna já havia noticiado, em outubro de 2019, que o promotor de vendas Eduardo Tadeu Mattos de Oliveira, de 36 anos, buscava um exame de DNA do cantor Junno Andrade, para provar ser o filho primogênito do marido de Xuxa. No entanto, após tentar extrajudicialmente a realização do exame e não obter êxito, o rapaz decidiu entrar com uma ação de reconhecimento de paternidade na Justiça do Mato Grosso.

No processo, que tramita na 2ª Vara Especializada de Família e Sucessões de Cuiabá, Junno foi citado recentemente através de carta precatória enviada a São Paulo. Nesta ação, o advogado de Tadeu informa que não há duvida quanto à paternidade e pede que assim que a mesma for comprovada, o nome de Junno seja inserido na certidão de nascimento do rapaz.

Pede ainda uma indenização por danos morais no valor de R$ 100 mil, alegando que a "conduta ilícita de Junno (de não realizar o DNA por vontade própria) vai além quando promove dentre os membros consanguíneos uma discriminação paternal, tendo os filhos próximos todo o reconhecimento e direitos vindos do exercício da paternidade, enquanto Eduardo foi afastado deste convívio". Entenda o caso

Há quase dois anos, Eduardo Tadeu, que nasceu em Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, garantiu ser o primogênito de Junno Andrade, em entrevista à esta coluna. "Ele e minha mãe, Isabel, namoraram um tempo, chegaram a morar juntos, mas eles brigaram e Junno foi embora para São Paulo. Nos conhecemos quando eu fiz 12 anos. Desde então ele sabe da minha existência", contou. O rapaz disse ainda que foi o avô, Ari, quem promoveu o encontro já na capital paulista e que chegou a conviver com o cantor na adolescência, até que a relação foi interrompida poucos anos depois. "Desde o início, a minha mãe era contra a nossa aproximação porque não queria que pensassem que a gente queria dinheiro. Eu só queria carinho do meu pai. Quando eu fiz 15 anos, eles sumiram. Deixaram de me procurar. Eu ainda fui atrás, mas eles trocaram de telefone e endereço. Em 2011, com o Facebook, eu fui no perfil da Cleo Brandão (apresentadora e ex-mulher de Junno) e achei minha avó e meus primos. Eles me bloquearam", disse.

Ao noticiar este caso com exclusividade, a coluna entrou em contato com Junno, que confirmou ter tido um breve romance com a mãe de Eduardo ainda na adolescência. "Eu não cheguei a namorar a Isabel. A gente ficava. Depois eu o conheci. Ele passou uns três dias lá em casa com a gente, mas tinha um comportamento estranho e eu mandei ele logo de volta para a casa da mãe dele", lembrou Junno, que disse ainda não acreditar que o rapaz seja seu filho, embora tenha afirmado, na ocasião, que estava disposto a realizar o DNA: "Ele não se parece comigo. De qualquer forma, estou disposto da fazer o exame de DNA e resolver a questão. Se ficar comprovado que ele é meu filho, é claro que vou assumir".

4 visualizações0 comentário