Virgínia coloca placenta de Maria Alice em cápsulas. Entenda a técnica

A esposa do cantor Zé Felipe, Virgínia Fonseca, revelou em vídeo postado no Youtube que colocou a placenta da filha Maria Alice em cápsulas. A influenciadora digital contou que elas são “capazes de combater a depressão pós-parto”, segundo explicação de sua doula. Transformar a placenta em cápsulas está se tornando uma alternativa cada vez mais comum entre mulheres que querem ingerir o órgão logo após o parto, mas não têm coragem de comê-lo in natura. O ato de ingerir o órgão, chamado de placentofagia, já existe há alguns anos e é mais comum nos Estados Unidos.

Órgão vascular que une o feto à parede do útero materno, permitindo a passagem de materiais nutritivos e oxigênio para o sangue do feto e a eliminação de dióxido de carbono e resíduos nitrogenados, a placenta é um dos subprodutos do parto e, na maioria dos casos, é descartada após o nascimento do bebê. No Brasil, há cerca de dois anos, o encapsulamento da placenta – rica em ferro, vitamina B12, hormônios (estrógeno e progesterona), entre outros nutrientes – tem se tornado uma alternativa para a mulher. Geralmente custa entre R$ 400 e R$ 500 uma embalagem com 130 cápsulas. Segundo a rede BBC, a empresa britânica Independent Placenta Encapsulation Network (IPEN) oferece treinamento e serviços na área. Ela cobra cerca de US$ 250 (R$ 553) para transformar a placenta em cápsulas e US$ 40 (R$ 88) por uma vitamina de placenta. Virgínia explica decisão em vídeo Ela iniciou o vídeo contando sobre as orientações que recebeu da obstetra sobre células tronco. “Tem profissionais que recolhem células tronco do cordão umbilical do bebê e guardam para, se caso acontecer alguma coisa com o neném ou com alguém próximo do neném, como câncer… Deus me livre guarde, nunca vai acontecer… você tem as células tronco para tratar. Você precisa deixar marcado com eles. Se deixar de última hora, não tem como”, explicou Virgínia.

Em seguida, disse que a profissional a indicou uma doula para auxiliar no parto, na amamentação, entre outras coisas, e comentou que a especialista perguntou sobre a placenta. “Eu falei: “Não vou comer não. Nem eu e nem Zé Felipe… Ela disse: “Eu faço cápsulas e creme”. E ela me falou que elas auxiliam na depressão pós-parto, puerpério… Como eu estava com muito medo disso, da depressão pós-parto, eu falei: “Vamos fazer, sim. É melhor. Mesmo que eu não tome, melhor ter”, disse. Fonte: Metropoles

7 visualizações0 comentário